RESULTADOS DO PROJETO AGROBIOFILM APRESENTADOS EM LISBOA

Três anos de investigação revelam benefícios na utilização de filme biodegradável para a agricultura e para o ambiente

O desenvolvimento do polietileno (polímero baseado em petróleo) sob a forma de um filme para cobertura do solo permitiu revolucionar o sistema de produção e a rentabilidade de muitas culturas. No entanto, a utilização destes plásticos causa impactes ambientais muito significativos, devido aos problemas associados à sua gestão durante e, principalmente, após o ciclo da cultura. A utilização de polietileno oxo-degradável, com fragmentação em pequenas partes, não resolve o problema ambiental. A solução passa pela utilização de matéria-prima de origem vegetal (e.g., amido de milho e óleos vegetais) em polímeros certificados como biodegradáveis e compostáveis.

O projeto AGROBIOFILM www.agrobiofilm.eu concorreu ao 7º Programa Quadro da União Europeia. Foi aprovado com 14 pontos em 15 possíveis, tendo-se iniciado em Abril de 2010 e concluído em maio de 2013.

O consórcio AGROBIOFILM é formado por um núcleo principal de 3 PMEs: SILVEX, Indústria de plásticos e papéis, S.A. (coordenadora do projecto, Portugal), BIOBAG (Noruega), e ICSE (França). As outras PMEs: Hortofrutícolas Campelos (Portugal), Olivier Mandeville (França) e Explotaciones Agrarias Garrido Mora (Espanha) são os utilizadores finais, onde se realizam os ensaios de campo. As Universidades e Centros de Investigação, subcontratados para realizarem o trabalho científico são: Instituto Superior de Agronomia (Portugal), Centro Tecnológico ADESVA (Espanha), Université Montpellier 2 (França) e Faculty of Agricultural Sciences, Aarhus University (Dinamarca).

Resultados foram apresentados ontem, 22 de maio, no Salão Nobre do Instituto Superior de Agronomia, em Lisboa.