Quais as castas que se tornam mais produtivas na região do Douro?

casta

Resposta

Agrotec: Sendo a sua pergunta muito generalista também a minha resposta terá de o ser. A Região do Douro, pelas suas particularidades edafo-climáticas, de solos pobres ou muito pobres e escassa precipitação anual caracteriza-se por dar origens a produções mé­dias bastante baixas, referindo o IVDP no seu site va­lores na ordem dos 30 hl/ha (4.100kg/ha). Tratando-se de um valor médio obviamente que inclui vinhas de muito baixa produção (por exemplo, vinhas velhas capazes de produzir altíssima qualidade, com produ­ções de 1.000 a 2.000 quilos por ha) e outras vinhas muito mais produtivas, plantadas em situações mais favoráveis, com produções na ordem dos 7.500 kg. A título meramente indicativo poderemos dizer que castas tintas como o Tinto Cão ou a Touriga Nacional são normalmente referenciadas como apresentando valores de produção baixos, enquanto castas como a Touriga Franca e a Tinta Roriz apresentam valores mais elevados. A nível de castas brancas Gouveio ou Viosinho são castas consideradas com baixa produção enquanto por exemplo a Códega ou a Malvasia Fina (desde que usados clones selecionados) apresentam valores mais elevados. Certamente que existem outras castas mais produtivas como a Malvasia Rei ou o Car­rega Branco, mas que devido à sua qualidade menos interessante no geral não serão de considerar…

Respondido por: Jorge B. Lacerda de Queiroz, Docente na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

Nota: Pergunta colocada por Tiago Magalhães, de Vila do Conde, na secção Agrotec Responde, da edição impressa N.º17. 

Caso queria aceder à revista impressa ou à edição digital, por favor, contacte-nos:

Telefone: 225899620

E-mail: marketing@agrotec.pt

Ou aceda aqui.