Preço mundial dos cereais aumenta apesar de boas perspectivas para produção

cereaisEm Agosto, verificou-se um aumento do preço dos cereais e, em especial, da soja, de acordo com o Índice de Cereais e Oleaginosas do CIC (GOI), que registou uma subida de quatro por cento ao longo do mês e de 10 por cento no caso da soja, antes das dúvidas surgidas em relação às perpectivas para a colheita nos Estados Unidos.

No entanto, estima-se que a produção ultrapasse em cerca de oito por cento os resultados assinalados na campanha passada. Apesar do aumento de preço em Agosto, este é inferior ao do ano passado. A expectativa de uma colheita mundial abundante favoreceu que o índice da soja e o geral continuem a mostrar uma descida anual de 20 por cento. O índice do trigo subiu ligeiramente, cerca de um por cento frente ao ano anterior, enquanto os do milho e arroz desceram cerca de dois e sete por cento, respectivamente

Devido ao aumento das previsões para a produção, tanto do trigo como dos cereais secundários em 2013/2014, a projecção para a produção de cereais em geral subiu nove milhões e toneladas, desde o mês passado, para situar-se em 1.929 milhões de toneladas, o que revela um crescimento de oito por cento frente à campanha anterior, quando as colheitas viram-se esgotadas pela seca. As estimativas apontam ainda para um crescimento das existências de 37 milhões de toneladas para 365 milhões, com um aumento de 29 milhões para o milho.

A previsão para a produção mundial de trigo em 2013/2014 subiu cerca de quatro milhões de toneladas atá quase o valor recorde de 691 milhões, com aumentos no Canadá, na União Europeia, Cazaquistão e Ucrânia. O mercado do trigo mostrou-se relativamente estável, com um grau de volatilidade inferior à média. A procura para exportação manteve-se sólida, devido em grande parte a problemas de qualidade com a colheita da China, que deram algum suporte aos preços.

Para a produção mundial de milho, espera-se um aumento anual de 10 por cento, totalizando 945 milhões de toneladas, isto em resposta a uma recuperação nos Estados Unidos e pesar da queda esperada de produção da América do Sul, devido, sobretudo, ao crescimento das culturas de soja, Por outro lado, estima-se um aumento de cinco por cento da procura mundial, um resultado muito superior à média recente de dois por cento.

A produção mundial de soja pode vir a registar um aumento de 10 por cento, situando-se assim um novo recorde em 2013/2014, de 280 milhões de toneladas. Embora a projecção para os Estados Unidos aponte para uma descida de 4,5 milhões de toneladas para 88,6 milhões, continua a assinalar um aumento de oito por cento e o valor mais elevado desde 2010/2011, como reflexo das boas colheitas na América do Sul.

Fonte: Agrodigital (Via Confagri)