O papel das algas na nutrição das culturas

algas

Por António Pedro Tavares Guerra | Engenheiro Técnico Agrário, Licenciado em Engenharia Agro-Pecuária e Formador e Consultor Técnico em Nutrição Vegetal

Introdução

A utilização das algas na agricultura é uma actividade muito antiga e com tradição em algumas zonas do país, como é o exemplo das zonas do litoral, particularmente nas regiões da Póvoa de Varzim e de Aveiro, onde apresentavam um elevado interesse fertilizante, denominados naquelas zonas por «sargaços» e «moliços» respectivamente.

A tradicional apanha das algas consistia na recolha, na praia ou na beira-mar, que se desprendiam das rochas com a força do mar. Depois de colhidas, eram estendidas nas areias da praia, para que pudessem secar.

Eram utilizadas como fonte de matéria orgânica, com um papel muito importante a nível químico no aumento da capacidade de retenção de agua e nutrientes dos solos arenosos, e físico na melhoria da estrutura dos solos argilosos.

Alem disso era uma fonte importante de nutrientes para o solo e para as plantas.

Foi durante muitos anos o fertilizante organo-mineral das pequenas parcelas de utilização agrícola, escavadas nas areias da beira-mar, as chamadas masseiras.

A utilização das algas na nutrição das plantas

As algas além de terem uma acção de Biostimulante, também são uma fonte importante de nutrientes para a planta.

A riqueza das algas em elementos de crescimento e desenvolvimento das plantas é reconhecida desde muito cedo. Os extractos de algas são utilizados em diferentes áreas da agricultura:

Para melhorar a estabilidade e a fertilidade do solo;

Para garantir um melhor desenvolvimento das plantas em produção vegetal.

(Continua).

Nota: Este artigo foi publicado na edição n.º 26 da Revista Agrotec, no âmbito do dossier Bioestimulantes.

Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa. Contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

E-mail: marketing@agropress.pt