Na UE 30% das explorações agrícolas são geridas por mulheres

Cerca de 30% das explorações da União Europeia (UE) são geridas por uma mulher, fatores que disfarçam diferenças bastante consideráveis entre países específicos, desde pouco mais de 5% nos Países Baixos e perto de 47% na Lituânia, de acordo com os últimos dados de 2013 do Gabinete Europeu de Estatísticas.

agricultura

A proporção de mulheres agricultoras está a crescer, mas lentamente. Em 2005, cerca de 27% das explorações da UE dos 28 (UE-28) eram propriedade de mulheres e a maior parte do crescimento deve-se à ampliação da UE, já que nos países do leste é mais frequente que as explorações sejam propriedade de mulheres.

O tamanho médio da exploração administrada por mulheres é de 6,4 hectares (ha), menos de metade dos 14,4 hectares das explorações geridas por homens.

Em termos de produção por exploração, as das agricultoras têm um volume menor, 12 mil euros em 2013, face às dos homens, com quase 40 mil euros.

Esta situação deve-se ao facto das agricultoras controlarem muito menos terra, 12%, que os homens, com 61%.

Os restantes 28% estão nas mãos de “entidades legais”, como empresas. Estas variações são menos pronunciadas nos países mais recenges da UE onde, em média, as mulheres cultivam 3,4 ha face aos seis ha dos homens.

O setor agrícola da Europa é dominado por uma população de maior idade e isto é certo quando se trata de mulheres agricultoras.

Os dados mostram que apenas 4,9% dos agricultores com menos de 35 anos são mulheres, em comparação com 6,4% dos homens. No entanto, no outro extremo da escala, a maioria dos agricultores com idades superiores a 65 anos são mulheres, 40% face aos 27,6% para os homens.

Fonte: Agrodigital