Maçãs perdem firmeza mas tornam-se mais doces com aquecimento global

As maçãs estão a perder a sua textura ‘crocante’ devido ao aquecimento global, embora estejam a ficar mais doces, refere um estudo realizado durante 40 anos com base em dados de dois pomares no Japão.

Os dados, analisados entre 1970 e 2010, demonstram sinais evidentes que as mudanças climáticas estão a ter os seus efeitos na textura e sabor das maçãs, refere a equipa de investigadores.

“Estas mudanças podem ter resultado de uma floração precoce e altas temperaturas” durante a época de crescimento, adiantam os investigadores na revista Nature Scientific Reports.

Anualmente, são produzidas cerca de 60 milhões de toneladas de maçãs, o que a torna a terceira fruta mais popular do mundo.

Estudos anteriores mostraram que o aquecimento global estava a provocar um florescimento tardio das maçãs e que as colheitas são afectadas pelas chuvas e pela temperatura do ar.

Os pomares usados no estudo produzem maçãs Fuji e as Tsugaru, as duas variedades mais populares no mundo.

Os dados, recolhidos ao longo de anos, incluem medidas à acidez, concentração de açúcar e firmeza da maçã.

Concluiu-se que tanto a acidez como a firmeza da maçã diminuiu, mas aumentou a concentração de açúcar ao longo do tempo.

“Achamos que uma maçã mais doce é algo positivo, mas a perda de firmeza é negativo”, adiantou o co-autor do estudo Toshihiko Sugiura, em declarações à AFP.

Fonte:  Lusa (via Agroportal)