FacebookRSS feed

Agrotec

FAO: 2016 será o Ano Internacional dos Legumes

Depois do Ano Internacional dos Solos, o destaque seguirá para os Legumes, anuniciou José Graziano da Silva, diretor geral da FAO.

Os legumes, que incluem os feijões e ervilhas, são uma fonte barata, deliciosa e nutritiva de proteínas e micronutrientes, destacou a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) na apresentação do Ano Internacional dedicado ao tema.

Sob o lema “Sementes nutritivas para um futuro sustentável”, a Assembleia Geral da ONU declarou 2016 o Ano Internacional dos Legumes, para criar consciência dos seus benefícios, promover a sua produção e comércio e fomentar novos usos em toda a cadeia alimentar.

O diretor geral da FAO, José Graziano da Silva, na sua intervenção num evento celebrado na sede do organismo, em Roma, declarou que «os legumes são culturas importantes para a segurança alimentar de grande parte da população, sobretudo na América Latina, África e Ásia, onde os legumes fazem parte das dietas tradicionais e frequentemente cultivadas por pequenos produtores e agricultores familiares».

Segundo a FAO, apesar dos seus grandes benefícios, o seu valor nutricional não é reconhecido e há centenas de variedades que podem ser cultivadas.
Os legumes são ricos em proteínas, contêm o dobro das encontradas no trigo e três vezes que as do arroz. Também são ricos em micronutrientes, aminoácidos e vitaminas do grupo B, elementos chave de uma dieta saudável.