FacebookLinkedin

Agrotec

Desenvolvido biopesticida que não afeta abelhas

abelhasInvestigadores da Universidade de Newcastle (Reino Unido) desenvolveram um novo pesticida, criado a partir de veneno de aranha e uma proteína vegetal. A ventagem deste produto é que apesar de ser altamente tóxico para um elevado número de pragas de insetos, não afeta as abelhas.

Na investigação, analisaram a proteína biopesticida Hv1a/GNA, que é uma combinação do veneno natural de uma espécie de aranha australiana e uma proteína (lectina) de galanthus.

Os investigadores comprovaram que alimentar as abelhas com doses agudas e crónicas da proteína (para além dos níveis que alguma vez poderão experimentar nos campos) apenas tinha um ligeiro efeito na sobrevivência das abelhas e nenhum efeito em absoluto sobre a sua aprendizagem e memória, que pôde ser mensurada.

Trata-se de um pesticida oral, ao contrário de outros que são absorvidos através do exoesqueleto. Também se diferencia pelo facto de o Hv1a/GNA afetar a fonte de cálcio do inseto, enquanto que o mais frequente é que os recetores de inseticidas de uso comum seja a fonte de sódio.

Os resultados desta investigação forma publicados na revista Proceedings of Royal Society B.

Ler mais aqui.