Conheça melhor a mosca da azeitona

Por Estação de Avisos da Terra Quente

azeitona

A mosca da azeitona é uma das principais pragas da oliveira e pertence à família dos dípteros.

No caso das fêmeas, o último segmento prolonga-se para formar a bainha protetora do ovipositor, para efetuar a postura.

As larvas são de forma cilindrocónica e passam por três instares. Quando acabam de eclodir medem 1mm e no final podem atingir 8 mm.

Nesta fase larvar podemos observar duas colorações, conforme a polpa da azeitona:

- cor branca-amarelada, quando o mesocarpo está ainda verde.

- passando posteriormente a azul violáceo quando a polpa está preta.

É nesta fase larvar que o prejuízo é maior.

No caso da azeitona para conserva a simples picada de postura, pode retirar todo o valor comercial das azeitonas.

Quando as azeitonas se destinam à produção de azeite, os prejuízos podem ser:

- Quantitativos - queda prematura dos frutos e destruição da polpa para as larvas se alimentarem.

- Qualitativos, pois quando as larvas se alimentam da polpa, deixam orifícios de saída. A polpa circundante aos orifícios onde as larvas circularam, entra em reações de oxidação contribuindo para acidificação do futuro azeite.

- Nos Olivais da região transmontana, com as temperaturas amenas que se fazem sentir, o voo e postura da mosca na azeitona estão a ocorrer.

Considerando o nível económico de ataque de 3 adultos por dia em cada armadilha cromotrópica amarela, mais 8 a 12% de azeitonas com larvas vivas, devem colher-se 10 azeitonas em cada uma de 20 árvores, ao longo do seu perímetro e de preferência no terço médio da árvore (altura de visão do observador).

Quando se atinge o nível económico de ataque, deve ponderar-se efetuar os tratamentos químicos com produtos homologados.

Deve cumprir-se escrupulosamente os intervalo de segurança entre a aplicação e a colheita (verificar os rótulos de cada produto).