Católica Porto usa cogumelos contra bactérias multirresistentes

Investigação, feita em parceria com o Politécnico de Bragança, demonstra eficácia de extratos de certos cogumelos contra infecções hospitalares

A Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Católica Porto acaba de descobrir uma nova forma de combater o Staphylococcus aureus meticilino-resistente (também conhecido como MRSA), uma bactéria particularmente difícil de tratar por ser resistente à penicilina e a todos os antibióticos do mesmo grupo. A equipa de investigação da instituição demonstrou a eficácia de alguns compostos fúngicos contra infecções graves que frequentemente ocorrem em ambiente hospitalar e podem resultar em septicemia, pneumonia ou pericardite.

Os investigadores testaram diferentes compostos – obtidos a partir de cogumelos provenientes de vários países – em bactérias patogénicas isoladas de pacientes de um hospital português. Os resultados obtidos revelam que a solução extraída deste tipo de fungos possui propriedades antimicrobianas e por isso inibe com sucesso o crescimento dessas bactérias.

Um caminho em direcção a novas moléculas antimicrobianas

Esta descoberta da Escola Superior de Biotecnologia ganha especial projecção tendo em conta que a falta de antibióticos eficazes contra as resistências múltiplas actualmente detectáveis em hospitais pode levar a que, em apenas 20 anos, as pessoas possam morrer de uma simples infecção. A busca de novos antibióticos atinge assim um novo nível de urgência.

Este trabalho – publicado ontem na revista científica “Journal of Applied Microbiology” – estudou igualmente o mecanismo inédito pelo qual estes compostos fúngicos actuam. Esta descoberta abre, assim, caminho ao desenvolvimento de novas moléculas para combate às multirresistências.

Fonte:  Lusa (via Agroportal)