Apoio majorado nos seguros de colheita a jovens agricultores

plantacao_pai_filhoNovo regulamento de seguros beneficia contratos colectivos, jovens em ano de primeira instalação e a permanência no sistema. São criados seguros especiais para culturas mais sensíveis ao risco de geada e chuva persistente.

O novo sistema de seguros de colheita, que substitui o anterior Sistema Integrado de Protecção contra as Aleatoriedades Climáticas (SIPAC) e que amanhã entra em vigor vai beneficiar, através do apoio a conceder aos agricultores, a permanência, a cooperação e os jovens agricultores.

O novo regulamento, esta quarta-feira publicado em Diário da República e que amanhã, dia 13 de Março, vai majorar em três pontos percentuais quando os agricultores se enquadram num grupo e são jovens em início de actividade.

Recorde-se que no âmbito do novo Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), que utiliza as verbas da PAC – Política Agrícola Comum no próximo quadro de referência de 2014 a 2010, os apoios terão financiamento a 100% de Bruxelas.

Precisamente para ter acesso a essas verbas e integrar a concessão de apoio no novo PDR, o Governo teve que alterar o sistema segurador das colheitas em Portugal. O novo sistema, frisou a tutela da Agricultura em comunicado enviado às redações, frisa que o novo sistema “opera no novo PDR e portanto é financiado a 100% por fundos comunitários”.

Assim, o novo diploma adianta que “a determinação do valor do apoio” é de “65% do prémio dos contratos de seguro colectivo, de segurados que tenham aderido no ano anterior, bem como dos contratos de seguro de jovens agricultores em ano de primeira instalação”. Para todos os outros excluídos daquelas situações, o apoio é de 62%.

“O valor do apoio” é “descontado no momento do pagamento do prémio”, adianta a tutela no diploma agora publicado.

Fonte. Jornal de Negócios – pode ler artigo na íntegra e  a informação referente à criação de seguros específicos aqui.