Futura PAC traz oportunidade para biológicos, defende Agrobio

O presidente da direção da Agrobio mostra-se otimista em relação ao próximo quadro comunitário para a Política Agrícola Comum (PAC).

PAC 2021 Agrobio

O plano da União Europeia para a Política Agrícola Comum (PAC) para o período de 2021 a 2017 prevê uma redução das verbas disponibilizadas face ao anterior. No entanto, para o presidente da direção da Agrobio esta poderá ser uma oportunidade para aumentar o investimento na agricultura biológica.

«A futura Política Agrícola Comum vai deixar um maior grau de flexibilidade a cada país para apostar naquilo que verdadeiramente acha que é estratégico», afirmou Jaime Ferreira, em declarações à Lusa.

O presidente da associação que defende a agricultura biológica nota que há “interesse e vontade” por parte do Governo português em apostar neste tipo de produção. “Incentivos para novos agricultores, de um programa de conversão da agricultura tradicional para a biológica e de ações de sensibilização para novos agricultores” são algumas das possíveis medidas de apoio apontadas.

A Comissão Europeia propôs, a 1 de junho de 2018, uma verba de cerca de 7,6 mil milhões de euros no Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-2027, a preços correntes, abaixo dos 8,1 mil milhões do orçamento anterior, com uma ligeira subida nos pagamentos diretos e cortes no desenvolvimento rural.

Está prevista também uma verba de 4,2 mil milhões de euros no primeiro pilar da Política Agrícola Comum (PAC) (referente a pagamentos diretos) e de 3,4 mil milhões no segundo (para o desenvolvimento rural).